*Este blog não é canal oficial para nenhum grupo ou personalidade; não visa atrair nenhum indivíduo ou grupo para fazer parte de qualquer grupo. Liberdade, Soberania e Abundância ilimitada para todos. Confie na sua intuição e procure sempre a validação ou não das informações postadas aqui em outras fontes. Você é o único dono de sua Energia (corpo.mente.alma.emoções), da sua Vida e o único Senhor de Si Mesmo, com a bênção do seu Criador.*

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Marinha disseminou segredos da tecnologia de antigravidade nazista...

video


"Transcrição da entrevista – Marinha Americana disseminou segredos da tecnologia de antigravidade nazista para empresas lideres e universidades americanas."

INTERVIEW TRANSCRIPT – NAVY DISSEMINATED NAZI ANTIGRAVITY SECRETS TO LEADING U.S. COMPANIES & THINK TANKS

http://exopolitics.org/interview-transcript-navy-disseminated-nazi-antigravity-secrets-to-leading-u-s-companies-think-tanks/


comentários de contato estelar: A tradução está um pouco confusa porque o original é confuso, onde pude melhorar, fiz, o resto deixei como está. William Tompkins, de 94 anos, informante, que se revelou no final do ano passado, está trabalhando principalmente com o Dr. Salla, descreve sua participação, de 1942 até 1945, em reuniões na Marinha onde recebiam – ele e outros - informações regulares de espiões da Marinha e tentavam então colocar as diversas informações juntas, o que ele chama de 'pacotes', e levá-las a cientistas e técnicos de diversas grandes empresas, corporações, think-tanks e universidades durante a segunda guerra mundial de modo a tentar entender e reproduzir a tecnologia nazista de discos voadores que eles já sabiam que existia.

Início da tradução de contato estelar:

Segue a transcrição de William Tompkins respondendo perguntas no primeiro episódio de seu testemunho na ExoNewsTV.



Data da Entrevista: 25 Fev. 2016
Local: San Diego, Califórnia
Publicado na ExoNews TV – 29/março/2016.
http://exopolitics.org/exonews-tv-navy-disseminated-nazi-antigravity-secrets-to-leading-u-s-companies-think-tanks/

WT: William Tompkins - entrevistado
RW- Dr. Robert Wood - entrevistador
MS – Dr. Michael Salla – entrevistador e apresentado

(Introdução completa clique aqui)

MS: A seguir extrato da entrevista de William Tompkins respondendo a perguntas de Dr. Robert Wood e eu [Michael Salla] sobre: informação recebida de agentes da Marinha, as diferentes corporações e 'thinks tanks' que ele visitou e algumas das tecnologias aeroespaciais que estavam sendo secretamente desenvolvidas pelos nazistas durante a 2GM. Tompkins começa a entrevista, descrevendo o pequeno escritório onde as reuniões de informação [debriefings] dos espiões da Marinha [Americana] aconteciam na 'Naval Air Station ' em San Diego, California.


WT – Tínhamos este pequeno pequeno escritório. Ele [Rick Obatta] era o comandante da 'Naval Air Station' em San Diego; o almirante estaria sentado aqui [descrevendo no vídeo], eu sentado ao lado dele e um dos meus três chefes, um capitão, sentado aqui. Um datilógrafo ficava sentado do outro lado da mesa e o agente [Navy operative ] - um tenente comandante ou tenente [ Lieutenant Commander or Lieutenant] sentaria ali. E ele apresentaria a informação (com) alguns esboços, algumas fotografias, então era quase tudo verbal, quase tudo. E se fosse um sistema que já tínhamos conhecimento, de outros agentes a partir da informação de dois anos antes, e era uma atualização do mesmo, ele juntaria todas as outras organizações que estavam ligadas com essa parte específica, digamos dos veículos em forma de charuto [cigar shaped vehicles], qual era o armamento, o que eram as operações, as diferentes empresas [companies ]debaixo da terra, que eram organizações de trabalho escravo.



RW - Quero voltar para esta reunião, onde você [WT] e Rick (Obatta), o capitão e os espiões da Marinha, sentados na mesa, quantas vezes você foi expostos a situações como essa. Foi dez ou foi um mil, uma centena? Foi durante quatro anos certo?

WT – Eu diria mil, talvez 1.200.

RW – Então seria toda a noite por quatro anos?

WT – Sim, era assim …

RW – Era algo noturno, tipicamente acontecendo dia após dia?

WT – Eles (Navy operatives/espiões a serviço da marinha americana) ficariam conosco por mais ou menos uma semana, e tentaríamos juntar as peças de suas informações, definir melhor suas informações. OK. Então tentávamos juntar tudo de um modo e passávamos a informação para frente.

RW – Então seria uma fonte passando sua estória, o que demoraria dois ou três dias para ele passar a informação toda, vocês juntavam tudo do melhor modo que fizesse sentido e passavam para frente.

WT – Eu diria que continuava… [I’d say this continued …]

RW – O que eu estou tentando fazer é compreender o alcance global daqueles, digamos três ou quatro centenas de '‘entregas’' que você fazia, e algumas destas coisas que tinham a ver com a história nazista. Será que tinham a ver com, por exemplo, regressão de idade, regressão de idade nazista, assim como UFOs nazistas?

WT – A maior parte era a respeito de OVNIs nazistas [Nazi UFOs].

[nota de tradução: Na verdade não eram OVNIs – Objetos Voadores Não Identificados ou no original, UFO – Unidentified Flying Objects… NÃO eram na verdade 'não identificados', eram simplesmente NAVES ESPACIAIS. Mas utiliza-se o termos OVNI e UFO para descrever, hoje em dia, naves espaciais.]

RW – Eu estou falando sobre o que os nazistas estavam fazendo em um modo militar.

WT – Sim, ia de sistemas de armas, todos os tipos de sistemas de armas avançadas, todos os tipos de métodos de guerra.

RW – Você foi exposto ao design do 'Hanebu' [nave], ou qualquer coisa deste tipo durante esse tempo?

WT – Eu estava envolvido em fazer esboços de algumas das coisas que realmente estavam lá.

MS – Alguma vez você se deparou com o termo 'Hanebu' como uma descrição para vários modelos de veículos de anti-gravidade alemãs?

WT – Não.

MS – E Vril? Alguma vez você se deparar com Vril como designação, Vril 1, Vril 2 ...

WT – Sim, mas lembre-se que o material que tínhamos... o texto era em Inglês, alguns dos documentos que conseguimos eram, naturalmente, em alemão. Mas nós não conseguimos tanto dos documentos. Era principalmente verbal, com a interpretação de cada um, era diferente, porque nós pedíamos para os agentes verificarem isso e aquilo, "Eu quero que você volte para lá, e eu quero que você volte aqui no próximo mês." Com atualizações para as informações.

E assim algum do material que estava em alemão, tínhamos um outro grupo de pessoas para traduzi-los para o Inglês. Então você está trabalhando com informações com as quais você não tem onde se basear, e então o que você está tentando fazer é colocar o suficiente em um conjunto de modo que (por exemplo) Lockheed poderia pegar essa informação e desenvolvê-la, interpretá-la e chegar a algo que poderia ser usado.

Quando eu disse que muitos, lembre-se que eu voltava a estas instalações, às vezes seis ou sete vezes com as informações atualizadas que tínhamos. Porque três anos depois que disseram antes, tínhamos as coisas agora, sido desenvolvido. Agora é isso, isso e isso.

[confuso no original também...]

RW – Então, você se lembra de que tipo de material você levou para lugares diferentes, 'JPL' ou 'Caltech', como era chamado então? Na 'JPL' você levaria o material relevante a respeito de UFOs ou naves antigravidade?

WT – Tudo sobre propulsão, os diferentes tipos de propulsão e as coisas, eu não tinha ideia do que isso era… Então controles, diferentes tipos de controles, sistemas de apoio. Praticamente qualquer assunto, qualquer pergunta que você queria perguntar. Algumas informações que estávamos recebendo.

RW – Alguns grupos não recebiam tudo?

WT – Não.

RW – Então eram seis locais, Douglas, Caltech, MIT, correto?

WT – Sim.

RW – E Lockheed?

WT – Lockheed, Boeing, North American, Northrup, North American.

RW – Então eram sete ou oito locais onde você fazia as entregas [das informações recebidas dos espiões da marinha em relação aos nazistas] ?

WT – Não, levávamos as informações a centenas de lugares. Para cada organização de pesquisa da marinha [programas espaciais nos EUA estão subordinados a / desenvolvidos pela Marinha e não a Força Aérea]. Levávamos ao 'Navy Development Center'em Warminster, Pennsylvannia. OK. Uma enorme instalação. Aposto que fui lá umas 20 vezes com material. Caltech, eu nem mesmo fui a Pasadena. Eu fui ao sistema de armamento da marinha em 'China Lake' porque Caltech estava trabalhando em outros programas lá. Eles tirariam seus cientistas, o que quer que fosse, 'and throw these guys into a package, and run with the ball…'

Alguns dos que eu visitei, não me deixavam disseminar a informação, não estavam interessados. Não queriam se envolver. Foi assim com varias universidades que estava no programas militares.

RW: A 'Purdue' era uma delas?

WT – Sim, 'Purdue' era uma. O que eu quero dizer é que nem todos estavam dispostos a ajudar a Marinha.

MS – E a Força Aérea? Wright Patterson?

WT – Sim, Wright Patterson … Alguns dos almirantes não queriam, mas nós tínhamos a nossa lista de quem poderia nos ajudar. O ponto aqui era de que não eram os documentos que dávamos a eles. Informação verbal, muitas poucas fotos, muitos poucos desenhos de partes especificas da propulsão ou controles...

RW – Coisas técnicas.

WT – Tudo material técnico. Eu não me importo de falar sobre isso, porque, francamente, eu vivi isso por quatro anos. Foi impressionante. Os títulos alemães ou material era um problema, então tínhamos tradutores lá que nos ajudariam a colocar os 'pacotes' juntos [agrupar informação de forma que fizesse um mínimo de sentido] para poder levar a Douglas, por exemplo, OK? E então há os erros de interpretação e outras coisas, que estou certo. Tudo isso é parte disto. Você podia não obter um bom 'pacote' bom, e assim pacotes eram levados para lugares com informações insuficientes. Então eu tinha que buscar informação adicional.

RW – Mesmo não sendo um engenheiro ou cientista você foi exposto a eta informação técnica neste processo. Isso é usualmente colocado em sendo comum e linguagem comum. Você entendia?

WT – Eu entendia um pouco. Algumas vezes eu não sabia o que estavam falando, e eu dizia que não estava entendendo.


Fim da transcrição.

tradução de contato estelar.

Postagens anteriores diretamente relacionadas:

http://contatoestelar.blogspot.com.br/2016/04/conselho-de-andromeda-tolec-em-08-abril.html

http://contatoestelar.blogspot.com.br/2016/04/willian-tompkins-informacoes-gerais-e.html